domingo, 24 de maio de 2009

Sofro de não te Ver

Sofro
de não te ver,
de perder
os teus gestos
leves, lestos,
a tua fala
que o sorriso embala,
a tua alma
límpida, tão calma...

Sofro
de te perder,
durante dias que parecem meses,
durante meses que parecem anos...

Quem vem regar o meu jardim de enganos,
tratar das árvores de tenrinhos ramos?

Saúl Dias, in "Sangue (Inéditos)"

2 comentários:

O Profeta disse...

Quero ser pássaro com penas azuis
Atirar as penas à verdadeira alegria
Voar sempre na procura do sul com norte
Num secreto caminho sem estrela guia

Quero ser barco que foge ao farol
Quero que o vento dance nos brandais
Quero ser viagem de rumo incerto
Quero ser a descoberta na procura do mais


Uma boa semana


Mágico beijo

Mimo Azul disse...

Muito obrigada pelas diversas maneiras de me felicitar =)

uma bjca fofa ;)